Forum Opala Clube de Mogi Mirim

Tutorial Comprar e Restaurar Opala e Caravan

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Tutorial Comprar e Restaurar Opala e Caravan

Mensagem por Admin em Qua Jan 02, 2013 9:53 am

Tutorial - Dicas para quem pretende comprar e reformar um Opala!

Estou copiando esse “tutorial” para auxiliar os marujos de 1º viagem, que tem o desejo de resgatar as suas maquinas, mas tem dúvidas de como fazê-los, o que envolve uma reforma, os custos e se vale realmente a pena reformar um carro.


1º - Comprando um Opala

O Opala realmente é um carro que marcou a história automobilística nacional, o sonho de consumo de uma geração hoje continua sendo objeto de desejo de colecionadores e admiradores do modelo.

Para aquele que deseja adquirir um Chevrolet Opala é necessário estar ciente de suas reais intenções com o veiculo, há aqueles que desejam reformar ou restaurar um carro, tarefa essa não tão fácil e que desprende do proprietário certa dose de paciência e dedicação, além de recursos para aplicar num trabalho como esse.

Caso o novo Opaleiro não tenha paciência para aguardar meses ou anos até seu veiculo ficar pronto é recomendável adquirir um exemplar já em funcionamento, restaurado ou bem cuidado, o valor de um carro desses em bom estado de conservação e dependendo do ano/modelo não sairá por menos de 8 Mil Reais chegando até a casa dos 50 Mil Reais como é o caso de alguns SS-6 anteriores a 1974, estes valores podem ser considerados baixos em relação ao custo de reformas ou restaurações.

Alguns itens que devem ser observados na hora da compra do carro.

Elenco superficialmente alguns itens que em regra geral devem ser observados na hora da compra do seu Opala, é recomendável que um funileiro e um mecânico de confiança acompanhem a vistoria do veiculo para ajudá-lo na escolha. Se possível reúna todas as informações sobre o modelo/ano pretendido, se familiarize com o carro, participe de fóruns, vá a exposições e veja o modelo pessoalmente, observe várias fotos detalhadas, isto o ajudará a reconhecer possíveis adaptações.

Lataria

Oxidação
Um dos males que mais prejudica a lataria do Opala é a ferrugem, existem alguns lugares onde geralmente elas aparecem com mais intensidade.

Caixas de ar
Caixas de roda
Quina dos vigias e parabrisa
Bacia do estepe
Assoalho

Dependendo do grau de oxidação vale à pena recuperar a peça ou substituir, em geral é fácil encontrar essas peças ou remendos para uma possível substituição.

Dependendo do ano e modelo do veiculo um painel traseiro novo para substituição pode chegar até a R$ 2.500,00, então observe se estas peças estão em bom estado ou podem ser recuperadas.

Alguns modelos anteriores a 1979 podem ter sido adaptados por seus proprietários para utilizar o cambio moderno ou descer o cambio da coluna de direção para o assoalho, para isso é feita uma adaptação onde se corta parte do painel corta fogo e do túnel do carro, verifique se o serviço foi bem feito e se você deseja ter um carro com tal adaptação.

Cofre do Motor e Longarinas
É importante sempre verificar as paredes do habitáculo do motor, se houver marcas de amassado ou lata enrugada significa que o carro possivelmente tenha sido batido, e dependendo da batida o carro pode estar com a estrutura desalinhada.

As longarinas são a base de sustentação e alinhamento da carroceria do carro, é valido observar se elas estão em boas condições, sem oxidação, trincas, amassados ou remendos. É encontrada com mais incidência trincas e remendos na longarina do lado direito (motorista), ao lado da caixa de direção, junto ao parafuso que prende o quadro agregado de suspensão à carroceria. Se houver trincas e remendos esteja ciente que deverá ser feito um novo reforço no local.

Mecânica

Sem dúvidas uma das características marcantes do Opala é a sua mecânica robusta, confiável e de fácil manutenção, peças de desgaste comum são encontradas facilmente no mercado de autopeças ou pela internet, entretanto alguns itens devem ser inspecionados antes da compra.

Primeiramente verifique se o motor condiz com o que está discriminado no documento do carro, nos modelos mais antigos não era obrigatório o registro do numero do motor no documento, então verifique pela cilindrada, de 65CV à 85CV corresponde ao motor de 4 cilindros, entre 122 CV à 153CV ao motor de 6 cilindros.

É recomendável a presença de um mecânico ou um Opaleiro mais experiente para auxiliá-lo a identificar alguns itens como o modelo do cambio e diferencial, se são compatíveis com a motorização do veiculo, e se estão com suas engrenagens em bom estado de funcionamento.

O quadro agregado da suspensão deve ser observado também, é ele que sustenta e fixa o motor à carroceria do carro além do conjunto de suspensão, em alguns casos ele costuma “abrir”, carros com o pneu gasto por dentro denunciam esta abertura (cambagem aberta), será necessário retirar o quadro para fazer o alinhamento. Observe se há trincas no quadro junto ao batente que o prende à carroceria.

Fique atento a veículos com a mecânica por fazer e faltando peças, algumas são apenas encontradas em desmanches e vendidas em conjunto, procure se interar do que falta, faça orçamentos e analise a viabilidade.

Acabamento externo

Dos modelos a partir de 1980 À 1992 boa parte dos acabamentos externos são facilmente encontradas e com um preço relativamente em conta, entretanto nos modelos entre 1969 à 1979 o cenário é diferente, se quiser um carro com bastante detalhes seja atencioso na hora da compra.

Nos modelos de 1969 à 1979 vale a pena observar os seguintes itens:
-Grade dianteira
-Acabamento do painel entre lanternas traseiras (1969 à 1974)
-Aro / Contorno dos piscas
-Frisos das caixas de roda e caixas de ar
-Frisos da calha do teto
-Frisos da borracha do parabrisa e vigia traseiro
-Frisos da pestana dos vidros da porta
-Retrovisores
-Tampa do tanque de combustível
-Picaretas do pára-choque
-Emblemas em geral
-Friso do teto de vinil e vinil (nos modelos com esse opcional)

Alguns destes itens são vendidas réplicas com um valor acessível mas de qualidade não tão boa, peças originais e usadas quando encontradas em bom estado são supervalorizadas.

Acabamento interno

Vale a mesma regra acima, ainda é possível encontrar com certa facilidade acabamentos para os modelos acima de 1980, para os anteriores os valores são salgados então atente-se para alguns itens:
- Estrutura das laterais de porta
- Console central
- Difusores de ar
- Funcionamento do painel de instrumentos
- Latinha do cinzeiro (laterais de porta e painel)
- Almofada do Painel (geralmente apresentam trincas)
- Volante (capa e acionador de buzina)
- Acionador de luz alta no assoalho
- Acionador do esguicho do limpador do vidro no assoalho
- Suporte do extintor
- Parafuso corta corrente (em baixo do painel)

Os outros itens são de fácil substituição, forração de teto, forração dos bancos, laterais de porta e carpete são encontradas em modelos similares e existem profissionais que realizam esse serviço com qualidade.

Lembrando mais uma vez que deve se compreender o que realmente espera do carro, se não tiver paciência e nem tempo de correr por desmanches e feiras de antigos atrás de peças, ter dor de cabeça com funileiro, mecânico, eletricista e tapeceiro, e calma para esperar o carro ficar pronto, invista em um carro já reformado ou em bom estado, o valor pode ser alto mas além de estar pagando por um ótimo carro você estará comprando paz, tranqüilidade e comodidade, isso não tem preço.

2º - Reformar ou Restaurar

Vemos diversos amigos do Fórum planejar uma “reforminha” no carro e o que era para ser apenas um banho de tinta acaba virando uma restauração completa. Todos temos o desejo de ver o nosso carro em estado de 0 km mas devemos nos atentar as adversidades e aos custos que isso envolve para o que era um sonho não se tornar um pesadelo.

Para evitar transtornos a primeira coisa a se fazer é planejar! Seja sincero com você, analise seu carro, peça ajuda de um funileiro e de um mecânico de confiança, faça orçamentos, pesquise locais onde você possivelmente irá comprar peças, e tenha uma noção dos custos que isso envolve e do tempo que você possivelmente irá ficar sem o seu carro.

Após uma análise critica sobre o estado do carro e a viabilidade do projeto escolha entre reformar ou restaurar, tendo como base que a reforma seria apenas o conserto de pequenos podres ou amassados, pintura geral e pequenos reparos o que em média dependendo do estado do carro pode custar em torno de R$ 2.500,00 a R$ 4.000,00 (desconfie de orçamentos de menor valor). Tempo médio para execução do serviço de 2 a 4 meses.

No caso da restauração o trabalho é mais detalhado, desmonta-se o carro por completo, remoção total da pintura, recuperação da lataria, preparação para pintura, pintura, elétrica, tapeçaria, vidraçaria, mecânica, peças de acabamento e adicionais.

O custo dependendo do estado do carro e das peças que forem aproveitadas não fica por menos de R$ 10.000,00 sendo o valor máximo estipulado pelo estilo de restauração, acessórios, acabamento e pelo bolso do dono do carro. Tempo médio para execução do serviço de 10 a 15 meses, podendo perdurar por mais de anos.

3º - Planejando uma reforma

Após analisar as condições do veiculo, suas condições financeiras e suas expectativas quanto ao carro decide-se por uma reforma, a essa altura já deva ter um funileiro/pintor de confiança, faça o orçamento da mão de obra, consulte o material que será usado no carro e as peças que terá que comprar.
Como diz o ditado quem faz mal feito faz duas vezes, então escolha material de 1º linha, eles são mais caros mas saem bem mais em conta do que mandar refazer todo o serviço, se não tiver condições na hora nem comece uma reforma, se programe, guarde o dinheiro necessário e ai sim dê inicio no seu projeto.

A reforma que envolva apenas pequenos concertos e pintura da carroceria não contém muitos segredos, se o seu funileiro for bom o trabalho será executado sem grandes contratempos.

4º - Planejando uma restauração

Se você decidiu partir para uma restauração parabéns! Você não tem um pingo de juízo na cabeça! Rs rs e é justamente por isso que você vai passar dias de angústia, sofrimento, nervoso, gastos inesperados entre tantos outros contratempos mas quando chegar ao final você terá o carro dos sonhos, um veiculo valorizado e que irá massagear o seu ego a cada torcida de pescoço que ele causar.

O primordial em tudo que se vá fazer é planejamento, passe horas, dias, meses se for possível planejando, estudando o que será feito, cotando as peças que terão de ser adquiridas, os profissionais que irão executar o serviço, os materiais e tudo que se faça necessário para que não haja surpresas pelo caminho, e mesmo assim você terá.

Visando otimizar o processo vou elencar uma ordem de como proceder na restauração, isso não é regra, e nem uma verdade absoluta, e corresponde a hipótese de alguém que planejou e tem disponibilidade para executar todas as etapas.

O primeiro destino do carro é a oficina mecânica, lá será analisada a necessidade consertos, substituição de peças e um possível upgrade, retira-se o motor, cambio e periféricos. O motor pode já ser encaminhado para retifica e o cambio para reforma.

Segundo destino a funilaria, o carro será desmontado por inteiro, é interessante acompanhar esse processo e verificar a “cautela” com que são retirados os frisos e outros acabamentos, separe caixas e guarde consigo tudo que for retirado do carro, tanto da parte externa como os acabamentos internos.

Os tapetes e o forro de teto serão retirados, cabe ai decidir se irá reaproveitar ou não estes, os bancos e laterais de porta podem já ser enviados para um tapeceiro de confiança para serem restaurados.

Na funilaria invista na troca de peças muito prejudicadas pela oxidação ou por amassados, as vezes a recuperação demanda muito tempo, material e o resultado não compensa o investimento.

Com a pintura totalmente removida invista em materiais anti oxidantes, hoje existe produtos ótimos para proteger a lata do carro que na época em que foram fabricados não existiam, vale a pena proteger o seu investimento, bem como na hora da pintura também não economize em materiais de 1º linha.

Nesse período em que tudo estiver sendo feito controle a tentação de comprar peças e acabamentos, a não ser que seja uma ótima oportunidade deixe para comprar cada coisa ao seu momento, ao construir uma casa primeiro se compra os tijolos e por último as cortinas, então poupe o seu dinheiro.

Funilaria pronta leve o carro no auto-elétrico para fazer uma revisão completa do chicote, as ligações das lanternas e piscas, do painel, das luzes internas, acionador do limpador de vidros, conexões dos sensores do motor, revisão do motor de arranque, do alternador, maquinas de vidro elétrico e retrovisores.

Em conjunto com a elétrica o carro pode ser enviado para o vidraceiro que irá instalar e regular os vidros.

Próximo passo é devolver o carro para a mecânica, instalar o motor e cambio, fazer as regulagens necessárias, substituir peças antigas, revisar o sistema de freio, de suspensão e escapamentos.

Com o carro em funcionamento parte-se para a tapeçaria, colocação de manta térmica, carpete, forro de teto, forros de porta, bancos e acabamentos internos.

Por fim o carro retorna ao funileiro para colocação dos acabamentos externos e o último polimento.

5º Preparação ~ evite os famosos curiosos e mecanicos "entendidos", que declaram haver receita infalível para extrair o maximo de desempenho do seu motor, seja 6 ou 4. Na mecanica, vale sempre a regra que "cada motor é um motor diferente do outro", então, o que pode ser bom num modelo, talvez não tenha o mesmo funcionamento num outro similar.
Preparos de motor 6 cilindros existem aos montes, e pouco se falava da preparação do 4 cilindros até hoje em dia.
Nume media geral, pode-se tirar de um 4 cilindros 151 cerca de no máximo 300cv aspirado e até 480cv turbinado, mas com durabilidade e consumo bastante comprometidos.
No 6 cilindros seja 250 ou 250-s, os valores podem atingir cerca de 200cv com pouquissimo investimento apenas melhorando o fluxo de combustivel, que a General Motors obstruiu para seu motor ficar economico.
Antes de radicalizar, experimente aumentar a compressão do motor para queimar nossa nova gasolina com alcool, usando pistões de cabeça plana dos motores a alcool. Um belo escape dimensionado 4x2 ou 6x2 no lugar do coletor de ferro fundido fará os motores atingirem rotações maiores, ficarão menos preguiçosos e em certos casos até mais economicos. Uma melhoria no sistema de platinado, passando direto para ignição eletronica, uma bobina melhor, ponto avançado,um DFV446 e filtro de ar esportivo e se desejarem, pode-se até colocar com sossego uma injeção MPFI adaptada, que estes motores aceitam bem.
No geral, a idéia é descobrir onde estão os "gargalos" que a GM deixou propositalmente, e tentar melhorá-los.
Informe-se nos Opalas Clubes e oficinas especializadas em OPALA, afinal, motores são iguais, mas muito dificilmente um preparador de AP saberá definir o melhor veneno para os nossos robustos motores.
Gastando muito pouco, transforma-se o cordeiro em lobo.... bounce


É bom ler e reler....depois não diga que ninguém te avisou.....
Ahhhh...tem mais...

A paixão acaba...o amor não!
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 11
Pontos : 26
Data de inscrição : 19/06/2012
Idade : 47

http://ocmm.livreforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum